Colégio Oficina tem um dos 5 brasileiros em Olimpíada Latino-Americana

Colégio Oficina

Colégio Oficina tem um dos 5 brasileiros em Olimpíada Latino-Americana

Colégio Oficina tem um dos 5 brasileiros em Olimpíada Latino-Americana

Um aluno do Colégio Oficina do Estudante, que ganhou a Maratona de Ensino TVB Record 2017, é um dos únicos cinco brasileiros que irão participar este ano da Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA).

Eduardo Henrique Camargo de Toledo cursa a 2ª série do Ensino Médio no Colégio Oficina. Entrou há dois anos, por meio do concurso de TV, e, desde então, estuda com 100% de bolsa.

Foi classificado para a Olimpíada depois de passar por uma seleção que abrangeu cerca de 20 provas. A edição 2020 seria realizada no Equador, mas ocorrerá pela internet, em novembro, devido à Covid-19.

Colégio Oficina

“A Oficina é um diferencial pra mim. Atende muito bem as minhas necessidades de estudo porque sou uma pessoa que gosta de aprender sempre mais e mais”, afirma Toledo.

O professor de física, Giuliano Perina Spazziani, que ensina astronomia no colégio, conta sobre o perfil de Eduardo – estudante nota 10.

“Ele é um ótimo aluno! Tem um interesse enorme pela ciência, pelo seu desenvolvimento. É muito fácil de perceber que ele leva muito a sério os estudos, e que tem um enorme potencial de desenvolvimento. Torço muito por ele e pelo seu sucesso, em qualquer caminho que ele busque trilhar. Tenho certeza que será bem sucedido em sua jornada”.

Aluno da Oficina

Futuro promissor

Toledo pensa em fazer faculdade de astronáutica.

E dá dicas para os alunos, que, assim como ele, sonhavam em participar da Olimpíada:

“Resolva exercícios. Faça as provas anteriores. Seja organizado. Controle a ansiedade durante a prova. E lembre-se: não importa o quanto você estude: haverá questões que você não conseguirá fazer. E tudo bem. Você vai conseguir aprender e inclusive estudar enquanto faz a prova”.

Suporte

O Colégio Oficina do Estudante conta com aulas específicas que preparam os alunos interessados em participar da Olimpíada de Astronomia.

O conteúdo é voltado à disputa, mas serve além dela.

Ensina conceitos que vão desde a origem histórica da astronomia enquanto ciência, passando pelo estudo e reconhecimento de constelações, à origem do Sistema Solar, de galáxias e estrelas, movimentos da Terra, fenômenos astronômicos como eclipses, e os efeitos e consequências que podemos sentir aqui em nosso planeta.

São abordados ainda tópicos relativos às máquinas e equipamentos utilizados para a observação, conhecimento e conquista do espaço, bem como abordagens históricas dessa evolução tecnológica.

E a aplicação desses conhecimentos pode servir para futuras carreiras, como as próprias astronomia, astrofísica e física.

Mas essa é apenas uma possibilidade, porque pode despertar ainda o interesse por profissões ligadas às engenharias, por exemplo.

Leia mais

Pandemia desperta novos interesses profissionais

Pressão do segundo semestre: como o vestibulando deve lidar?

Compartilhe esse Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *